Retornar à Jornada do Câncer
English
Diário do ano passado

Diário Médico 2001
O Sexto Ano com Câncer

maio

5ª-feira, 3 de maio Tomografia do toráx.  
5ª-feira, 8 de maio Consulta e apresentação da última tomografia.  Sem novidades.  dr. Shama receitou novo remédio para dor, a Fentanyl.   
4ª-feira, 16 de maio Hoje recebí um telefona urgente da Raquel que ela estava levando Neila à sala de emergência do Hospital Presbyteriana.  Neila telefonara que passasse urgente em casa, e ao chegar encontrou a mãe desorientada e tremendo sem contrôle.  Ela começou a vomitar, e a Raquel conseguiu levá-la para o carro com dificuldade.  Deram-me permissão para seir cedo do serviço, e fui direto para o hospital.  Ela estava ainda bastante confusa e desorientada, e vomitava.    Fizeram testes de sangue (células brancas estavam em níveis normais, e uma radiografia que acusou a presença de fluído no pulmão direito, e uma mancha nova no lobo superior.  Admitiram-na no hospital.  Ela não responde, e tem os olhos envidraçados.  
5ª-feira, 17 de maio Raquel e eu passamos o dia no hospital.   dr. Shama passou pela manhã, e a diagnose preliminar era uma infecção urinária grande nos rins, e talvez combinado com uma menor no pulmão, e pedra na visícula.   Pediu um ultrasom e tomografia 
6ª-feira, 18 de maio O ultrasom não deu em nada, e Dr. Andrew Gottesman, um gastrointerologista, pediu uma imagem tipo " DISIDA" para descubrir a localização exata no de uma mancha no rim que apareceu na radiografia.    
sábado, 19 de maio Não se faz a tal "DISIDA scan" em fim de semana(!!!).  Neila continua bem disorientada e tem até halucinações.  
domingo, 20 de maio Neila acordou ainda disorientada e afásica, mas no final do dia começara a falar um pouco, e, pela primeira vez, se deu conta que estava no hospital.  Dr. Gottesman passou e insistiu que a mancha no rim não deve ser câncer, porque câncer de pulmão normalmente passa para o cérebro ou fígado: não para os rins.   
2ª-feira, 21 de maio Neila acordou bem disposta.  Pode-se dizer que voltou a normal.  Foi para o "DISIDA scan" às 08:00.  dr. Shama veio depois.  Não tinha visto ainda, as imagens da tomografia que fez no sábado, mas tinha falado por telefone com o laboratório e estavam normais.  Pediu uma resonância da cabeça, e uma eletroencefalograma, por via das dúvidas, pois ainda não tem uma explicação da desorientação e afasia  Deven fazer a resonância hoje à tarde, e o eletroencefalograma amanhã.  
3ª-feira, 22 de maio Neila continua normal.  Fez o eletroencefalograma cedo, e ficamos esperando o dr. Shama até 17:00.  Ele tinha já os resultados de todos os examens (exceto o eletroencefalograma) e todos estavam negativos.   Isto é, não acusavam anomalias.  Ele acha que a afasia e desorientação podem ser resultados de uma toxificação provocada pela infecção, ou então uma convulsão.  O neurologista deve aparecer com os resultados da eletroencefalograma amanhã, mas já disse ao dr. Shama que como Neila tem um histórico dessas convulsões, ele recomenda um remédio anti-convulsão, seja o que for o resultado do examen.   Deve sair do hospital amanhã à tarde.   
4ª-feira, 23 de maio Deram alta!  Dr. Krampitz, o neurologista, e dr. Shama passaram cedo e a liberou para ir à casa.  A EEG mostrou algumas anomalias, e a resonancia acusou atividade mental mais lento, mas nada a que podia atribuir a desorientação e afasia.  Dr. Krampitz voltou atrás em receitar o remédio para convulsões, embora recommenda prestar atenção a qualquer coisa fora do normal.  A única coisa concreta era a infecção (a pedra na visícula era muita pequena para preocupar agora) e o antibiótico funcionou.  Ele receitou uma rodada adicional de antibióticos , e meio-dia estávamos em casa.   

janeirofevereiromarço,  april, maio, junho, julhoaogostosetembro outubro.